quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Soluções para se ter água.



Saae de Volta Redonda
implanta sistema de captação flutuante
Diário do Vale, set 2015








Volta Redonda – O Saae-VR (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Volta Redonda) está iniciando a instalação de um sistema de captação flutuante de água na Estação de Tratamento de Água (ETA) Belmonte. Este sistema vai funcionar como uma alternativa ao sistema fixo que existe atualmente, e que é dependente do nível do Rio Paraíba do Sul. De acordo com o gerente de Tratamento de Água e Esgoto do Saae-VR, Patrick James Kent, apesar da situação em Volta Redonda ser beneficiada por uma pequena barragem no Rio Paraíba do Sul, construída há algumas décadas pela CSN e que mantém o nível do Rio Paraíba do Sul estável em frente ao ponto de captação na ETA Belmonte, a falta de chuvas – e o consequente baixo nível do rio – preocupam, e o novo sistema vai criar “uma situação de maior conforto” na operação.

– O equipamento de captação acompanha o nível da água, então passaremos a depender menos da altura do Rio Paraíba do Sul. O abastecimento da população no próximo verão terá mais garantias com este novo sistema – apontou Kent. Apesar disso, segundo o gerente do Saae, a população deve continuar economizando, fazendo uso racional da água, incluindo o reuso, e combatendo o desperdício.

– A falta de chuvas preocupa, e a situação da água é um tema mundial – frisou.

 Sistema
O equipamento de captação flutuante – fornecido pelo Ceivap (Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul) – representa um investimento de R$ 1,25 milhão, e é composto por três flutuadores de aço, com cerca de seis metros de diâmetro, que sustentarão três bombas e um sistema de mangueiras flexíveis. O sistema será ancorado por cabos de aço a uma estrutura próximo ao atual ponto de captação da ETA Belmonte. As bombas têm capacidade para captar 400 litros de água por segundo, com um total de 1,2 mil litros de água captada por segundo, equivalente ao sistema fixo atual. De acordo com o gerente de Tratamento de Água e Esgoto, o sistema flutuante vai entrar em operação automaticamente, caso o nível do Paraíba do Sul desça além do limite possível para a captação. – Neste caso, o sistema fixo é desligado e a captação passa a ser feita somente pelo sistema flutuante, que tem a mesma capacidade – afirmou.

A previsão é que o sistema esteja totalmente instalado em até 120 dias. As bombas, flutuadores e mangueiras flexíveis de captação já estão na ETA Belmonte, próximo ao ponto onde serão instalados na margem do Rio Paraíba do Sul.